Mitologia - Os Nórdicos...

sexta-feira, 9 de agosto de 2013


Os povos nórdicos, chamados de escandinavos, são aqueles que habitam os países hoje conhecidos como Suécia, Dinamarca, Noruega e Islândia. As narrativas mitológicas dos povos nórdicos estão contidas em duas coleções chamadas "Edas". A mais antiga é uma poesia que data de 1056 e a mais moderna é uma prosa de 1640.

Segundo as Edas, no princípio, não havia nem céu em cima, nem terra em baixo, mas apenas um abismo sem fundo e um mundo de valor no qual flutuava uma fonte. Dessa fonte saíam doze rios, e depois deles terem corrido até muito distante de sua origem, congelaram-se, e tendo uma camada de gelo se acumulando sobre a outra, o grande abismo se encheu.

Ao sul do mundo de vapor havia um mundo de luz, do qual uma vibração quente soprou sobre o gelo, derretendo-o. E os vapores elevaram-se no ar formarando nuvens, das quais surgiram Ymir, o gelo gigante e sua geração e a vaca Audumbla, cujo leite alimentou o gigante. Essa vaca alimentava-se lambendo o gelo, de onde retirava água e sal. Certo dia, quando estava lambendo as pedras de sal, surgiram os cabelos de um homem; no segundo dia a cabeça e, no terceiro, todo o corpo, que tinha grande beleza, agilidade e força. O novo ser era um deus e dele e de sua esposa, filha da raça dos gigantes, nasceram os três irmãos: Odin, Vili e Ve, que mataram o gigante Ymir, formando com seu corpo a terra, com seu sangue os mares, com seus ossos as montanhas, com seus cabelos as árvores, com seu crânio o céu e com seu cérebro as nuvens carregadas de neve e granizo. Com a testa de Ymir, os deuses formaram Midgard (terra média), destinada a tornar-se a morada do homem. Odin estabeleceu depois os períodos do dia e da noite e as estações, colocando no céu o sol e a lua, determinando-lhes os respectivos cursos. Logo que o sol começou a lançar seus raios sobre a terra fez brotar e crescer os vegetais.

Pouco depois de terem criado o mundo, os deuses passearam juntos ao mar, satisfeitos com sua obra recente, mas verificaram que ela ainda estava incompleta, pois faltavam seres humanos. Tomaram então um freio e dele fizeram um homem, e de um amieiro fizeram uma mulher, chamando-os de Aske e Embla, respectivamente. Odin deu-lhes então a vida e a alma, Villi a razão e o movimento e Ve, os sentidos, a fisionomia expressiva e o dom da palavra. A Midgard foi-lhes então dada para moradia, e eles tornaram-se os progenitores do gênero humano.




O martelo de Thor:

Antes de o cristianismo chegar aos países nórdicos, acreditava-se que Thor cruzava os céus numa carruagem puxada por dois bodes. E quando ele agitava seu martelo, produziam-se raios e trovões. A palavra trovão em norueguês (Thor-døn) quer dizer o "rugido Tor". Em sueco (åska) quer dizer a jornada dos deuses no céu.

Quando troveja e relampeja, geralmente também chove. E como a chuva era vital para os camponeses da era dos vikings, Thor era adorado como o deus da fertilidade.

A resposta mitológica à questão de saber por que chovia era de que Thor agitava seu martelo. E quando caía a chuva, as sementes germinavam e as plantas cresciam nos campos.

Os camponeses não entendiam por que as plantas cresciam, mas sabiam que tinha algo a ver com as chuvas. Além disso, todos acreditavam que a chuva estava relacionada a Thor, que tornou-se um dos deuses mais importantes do norte da Europa.

Os vikings imaginavam o mundo habitado como uma ilha, constantemente ameaçada por perigos externos. Esta parte habitada do mundo eles chamavam de "Midgard", o reino do meio. Em Midgard também havia "Åsgard", a morada dos deuses. Fora de Midgard havia "Utgard", o reino de fora, habitado pelos perigosos trolls, que não se cansavam de tentar destruir o mundo com toda sorte de golpes baixos. Estes monstros malignos também são chamados de "forças do caos". Na religião nórdica e também na maioria das culturas, as pessoas acreditavam que havia um equilíbrio entre as forças do bem e do mal.

Uma das possibilidades que os trolls tinham de destruir Midgard era roubar Freyja, a deusa da fertilidade. Se conseguissem isso, nada mais cresceria nos campos e as mulheres não teriam mais filhos. Por isso, os bons deuses tinham que manter os trolls afastados. E justamente por isso Thor era tão importante, pois com seu martelo, que lhe conferia poderes quase infinitos, ele mantinha os trolls afastados.

Esta era a explicação mitológica para o funcionamento da natureza. Quando catástrofes aconteciam, as pessoas também tinham que participar da luta contra o mal. E isto elas faziam através de toda sorte de rituais ou cerimônias religiosas.

O principal ritual religioso era o sacrifício. Oferecer alguma coisa em sacrifício a um deus aumentava seu poder para que ele continuasse a luta contra o mal. Isto podia ser feito sacrificando-se um animal. Presume-se que a Thor eram sacrificados sobretudo bodes. Para Odin sacrificavam-se às vezes também pessoas.

Quando a seca assolava uma região, as pessoas daquela época atribuíam isso ao fato de que os trolls haviam roubado o martelo de Thor, como ocorre no poema Trymskveda. O mito também tenta explicar as mudanças das estações do ano: no inverno, a natureza está morta, porque o martelo de Thor foi roubado pelos trolls. Mas na primavera Thor consegue reavê-lo. A assim, os mitos tentavam explicar às pessoas algo que elas não compreendiam.

As pessoas não se contentavam apenas com as explicações, elas queriam de alguma forma participar desses acontecimentos. Então, faziam-no das mais diversas formas de rituais religiosos, que guardavam uma relação com os mitos. Há muitos exemplos de outras partes do mundo que dizem que as pessoas encenavam um "mito das estações do ano", a fim de acelerar os processos naturais.



Deuses Nórdicos:

Tor, o senhor dos trovões, filho mais velho de Odin, era o mais forte dos deuses e homens, possuía algo muito precioso, que era seu martelo. Do nome Tor deriva Thursday, o quinto dia da semana.

Frey, era um dos deuses mais celebrados, responsável pela chuva, pelo brilho do sol e por todos os frutos da terra. A deusa Freyja era sua irmã, a mais propícia das deusas, amava a música, a primavera, as flores, os elfos. Apreciava muito as canções amorosas e todos os amantes poderiam invocá-la com proveito. Era a deusa da fertilidade.

Bragi era o deus da poesia, e seus cantos recordavam os feitos dos guerreiros. Sua esposa, Iduna, guardava a caixa de maçãs que os deuses, quando sentiam aproximar-se a velhice, provavam, para recuperar imediatamente a mocidade.

Heindall era o vigia dos deuses e, portanto, ficava na fronteira do céu para impedir que os gigantes passassem pela ponte Bifrost (o arco-íris). Heindall dormia menos que um pássaro e enxergava, tanto de dia quanto de noite, num raio de 100 milhas (cerca de 160 km). Tinha tão bons ouvidos que podia ouvir o ruído da relva crescendo nos campos e da lã crescendo em um carneiro.



Caracteres rúnicos:

Não se pode viajar extensamente pela Dinamarca, Suécia ou Noruega sem encontrar grandes pedras de formato diferente, que têm gravadas os caracteres rúnicos, diferente de todos os outros conhecidos. As letras consistem de "varinhas", que eram usadas, nos tempos primitivos, pelos povos nórdicos para prever os acontecimentos futuros. Os caracteres rúnicos são de vários tipos e têm uso, principalmente, com finalidades mágicas. Os malignos eram empregados para causar aos inimigos várias espécies de mal, e os benignos, para evitar o infortúnio. Alguns tinham finalidades medicinais, outros eram empregados para conquistar um amor. A língua é um dialeto de godo chamado norreno, ainda usado na Islândia. As inscrições podem, portanto, ser lidas, mas até agora, foram encontradas muitas poucas capazes de trazer qualquer esclarecimento sobre fatos históricos. Em sua maior parte são epitáfios gravados em números.



Valhala:

Valhala é o grande palácio de Odin, onde ele se diverte em festins com os heróis escolhidos, aqueles que morreram valentemente em combate, pois são excluídos todos aqueles que morreram pacificamente. É servida a carne do javali Schrinnir, que chega fartamente para todos, pois, embora o javali seja cozido todas as manhãs, fica inteiro novamente todas as noites. Para bebida, os heróis dispõem de abundante hidromel, fornecido pela cabra Heidrum. Quando não se encontram nos festins, os heróis se divertem lutando. Todos os dias, dirigem-se ao pátio ou ao campo e lutam até se fazerem em pedaços uns aos outros. Mas, na hora das refeições eles se restabelecem dos ferimentos e voltam ao festim no Valhala.


Toda Mulher é Bruxa?


TODA MULHER É UMA BRUXA?
(Sissi Loeb)

Toda mulher é bruxa?
É preciso magia para manter ou sair de uma relação amorosa ou profissional, inteira e forte.

É preciso muita magia para passar anos, vários anos, trabalhando vinte e quatro horas por dia, sem direito a salário ou férias, acumulando as funções de babá, motorista, administradora, cozinheira, psicóloga, enfermeira e sei lá o que mais, sabendo de antemão que quando aquelas gracinhas que tanto trabalho dão, tiverem "virado gente", tiverem a cabeça amadurecida, boa para um papo gostoso, para te fazer companhia, vai ser também, o tempo delas tomarem o volante de suas vidas e correrem atrás do futuro.

É preciso uma tremenda magia, para se manter centrada e bem quando toda uma cultura te chama de "velha" como se isso fosse um defeito grave.

É preciso magia da boa para não lastimar o que não deu para fazer.

Para aceitar ou ir atrás das coisas, mesmo que fora de hora, ou pelo menos, fora da hora da maioria, mas a tua hora.

A hora em que você se sentiu preparada para essa luta.

A magia é necessária na hora de dar uma virada no lado profissional ou sentimental, de estudar aquilo que você acha incrível, de aceitar com serenidade, com paz, os filhos que não vieram por vontade tua ou da própria vida, as rugas, o corpo meio diferente apesar do esforço da malhação, o cabelo grisalho, sem deixar que isso te transforme em um ser inútil.

Diga lá!

Essas coisas valem mais que você, que o teu amor espalhado por aí por tanto tempo, que a tua gargalhada, que o teu prazer?

Me poupe, Menina!

Não se esqueça de se manter Menina até o fim!

Não abandone a criança que mora lá no fundo, a tua melhor parte, a mais pura e mais forte.

É preciso ser bruxa para procurar as tuas verdades, quando elas não são as mesmas das pessoas com quem você convive mais de perto e com isso arriscar-se a encarar as perdas com coragem.

É preciso ser muito bruxa para finalmente reconhecer e fazer amizade com a solidão que por tanto tempo você tentou não ver...

É necessário ser bruxa para não desistir, não perder a coragem, quando a saúde tenta te dar uma rasteira...

É necessário fazer a mágica de tirar teus sonhos do baú, onde estiveram guardados por todo esse tempo em que você os deixou esperando e tratar de lutar por eles, por mais bobos e infantis que possam parecer, para finalmente pensar primeiro na tua alegria, só depois nos outros.

Para cuidar de você mesma enquanto há tempo...

38 Florais de Bach...

Você às vezes tem sentimentos de medo, sente ansiedade ou raiva. Os sintomas orgânicos que esses desequilíbrios podem acarretar, são sinais de que o estado emocional está comprometido, as energias vitais estão sendo canalizadas de modo errado ou bloqueadas. Os remédios Florais restabelecem contato e harmonia com a nossa totalidade, a nossa verdadeira fonte de energia.



Os Florais de Bach buscam chegar à raiz desses problemas e erradicar devidamente a causa desses desequilíbrios. São indicados através da análise das características de sua personalidade e do quadro emocional que você apresenta. À medida em que o organismo vai sendo harmonizado como um todo, os sintomas vão gradativamente desaparecendo. É um mecanismo natural sem efeitos colaterais e deve ser acompanhado por um terapeuta.
São 38 remédios que constituem um complexo sistema de cura. Cada planta foi escolhida especificamente pela sua capacidade de tratar a mente. Os remédios do Dr. Bach tratam da pessoa, não da doença.

Agrimony
É indicado para pessoas com tendência a esconder seus sentimentos. Estas pessoas são aparentemente alegres e descontraídas, mas de forma superficial. Apresentam conflitos emocionais e medo da solidão. É comum procurarem desculpas para não se conscientizar dos problemas. Apresentam tendência ao uso de álcool e drogas.

Aspen
Indicado para estados emocionais em que as pessoas são tomadas por medo de algo que não sabem identificar. Neste estado há um aumento da ansiedade e apreensão, podendo levar ao pânico.

Beech
Neste estado emocional as pessoas mostram-se muito rígidas. Possuem critérios muito definidos ao fazer julgamento sobre os outros e tem dificuldade em aceitar seus próprios erros.

Centaury
Pessoas com a personalidade centaury geralmente tem dificuldade em impor sua vontade, suas idéias e são facilmente dominadas. Espera que os outros lhe digam que atitudes tomar e quais caminhos devem seguir. A essência vai ajudar a despertar as características positivas reconhecendo a própria individualidade sem se influenciar pelas opiniões alheias.

Cerato
Pessoas com pouca confiança em si próprio. Tendem a duvidar de sua capacidade de julgamento. Tendência a imitar atitudes dos outros não assumindo responsabilidade por suas experiências. A essência do cerato vai devolver a autoconfiança e ajudar a lidar com o sentimento de incapacidade.

Cherry Plum
Esse Floral irá ajudar as pessoas que tendem a perder o controle sobre seus pensamentos e ações. Neste estado emocional podem apresentar impulsos violentos contra si mesmo e os outros tornando-se bastante deprimidas.

Chestnut Bud
É indicado para as pessoas com dificuldade de aprendizagem. Estas não conseguem aprender com as experiências e comentem sempre os mesmos erros. Também crianças que apresentam dificuldade escolar.

Chicory
Essa essência poderá ajudar as pessoas muito possessivas que tendem a manter o controle sobre as outras e a dirigir suas vidas. São pessoas dominadoras, carentes, muito dependentes e presas a regras sociais.

Clematis
Pessoas com grande dificuldade de concentração e de viver o presente devido à falta de interesse pelas coisas. Aquelas pessoas que parecem estar sempre com o pensamento distante e tem dificuldade em memorizar

Crab Apple
Essa essência vai limpar a mente, trazendo à tona os sentimentos de impureza, de auto desaprovação, tudo aquilo que causa desequilíbrio podendo se transformar em doença. Uma vez conscientizadas de suas dificuldades, as pessoas serão capazes de ver os fatos em suas reais proporções.

Elm
É prescrito para as pessoas que tem grande senso de responsabilidade. Pessoas autoconfiantes, seguras, com capacidade de liderança, que momentaneamente se sentem incapazes de dar continuidade ao trabalho que vem assumindo por serem muito exigentes e perfeccionistas.

Gentian
Para pessoas que desanimam frente às dificuldades que surgem, seja no trabalho ou problemas de saúde e outros. O remédio floral vai devolver uma perspectiva positiva ajudando a compreender e superar a situação.

Gorse
A essência do Gorse vai ajudar as pessoas que se encontram num estado de desespero e pessimismo, a assumir uma postura diferente frente a vida adquirindo mais energia para superar os problemas.

Heather
Indicado para as pessoas que tem necessidade de falar compulsivamente. São muito preocupadas consigo mesmas e não conseguem ouvir o outro. Tendem a monopolizar uma conversa pelo impulso de relatar tudo que vive. Essas pessoas são carentes, embora transmitam uma imagem de segurança.

Holly
Indicado para pessoas que se encontram em estado de muita raiva, ciúme, inveja, constante expressão de mau humor. O Holly vai ajudar a equilibrar essas emoções retomando a harmonia interior.

Honeysuckle
Quando as pessoas se encontram com dificuldade de se desligar do passado. Vive em função daquilo que já aconteceu sem usufruir dos acontecimentos presentes. A essência vai ajudar a se desprender do passado permitindo usar a energia de forma mais produtiva.

Hornbeam
Indicado para sensações de cansaço, exaustão mental. Essa exaustão está ligada ao excesso de rotina. A essência funciona como um tônico que vai ajudar a adquirir mais energia para lidar com o cotidiano.

Impatiens
Para pessoas muito rápidas de pensamento, que perdem a paciência em aceitar o ritmo dos outros. Ficam tensas e frustradas quando as coisas não acontecem com rapidez.

Larch
Indicado para as pessoas inseguras, que não acreditam em sua capacidade. Devido ao valor que dá às experiências negativas do passado, não reconhecem seu potencial para atingir os objetivos. São convictas de sua inferioridade.

Mimulus
Para quem tem medo de algo conhecido. Por exemplo: medo de andar de elevador, avião, de escuro, de doenças e outros. Essas pessoas estão constantemente ansiosas por estar sujeitas a se deparar com situações que lhe causam ansiedade a qualquer momento. O floral ajudará a compreender essa ansiedade, trazendo equilíbrio para uma vida mais saudável.

Mustard
Caracterizada por uma tristeza inesperada, depressão profunda. Tendem a canalizar sua energia totalmente para dentro de si levando a um comportamento de introversão e à falta de sociabilidade. A essência do Mustard irá proporcionar mais serenidade de pensamento e clareza nos seus sentimentos.

Oak
Para pessoas obstinadas com o trabalho, cumpridoras do dever , corajosas e com grandes ideais. Estas não se permitem o prazer que não venha da realização e de um esforço excessivo. O floral vai devolver a alegria e a vitalidade.

Olive
Para esgotamento mental. Quando as pessoas gastam inconscientemente muita energia com preocupações e chega ao limite de suas forças, podendo gerar doença físicas. A essência do Olive vai ajudar a administrar adequadamente a energia vital.

Pine
Indicado para aqueles que apresentam como sintomas sentimento de culpa, auto censura, são rigorosos ao julgar seus comportamentos. O tratamento irá ajudar as pessoas a aceitarem melhor suas falhas e se perdoarem.

Red Chestnut
Para pessoas que se preocupam excessivamente com os outros. São super-protetores, sacrificam-se em função dos problemas alheios.

Rock Rose
Para sentimento de terror, ansiedades que aumentam progressivamente e a pessoa fica paralisada em função do medo.

Rock Water
Pessoas perfeccionistas, possuem ideais exagerados e se obrigam a viver de acordo com eles. Com o uso da essência tenderá a ser menos rígido, ter uma mente mais aberta.

Scleranthus
Para pessoas incapazes de tomar uma decisão. Vacilam entre dois caminhos, gastando um tempo valioso em seus raciocínios. Apresentam grande flutuação de humor.

Star of Bethlehem
Star of Bethlehem é prescrito em função de experiências traumáticas que uma pessoa tenha vivido. Estas podem ser físicas, emocionais ou espirituais. É capaz de restaurar o poder auto curativo do corpo, neutralizando os sintomas do trauma, independente se este é recente ou tenha acontecido há muito tempo.

Sweet Chestnut
Quando uma pessoa sente-se desamparada e desprotegida, chegando ao limite de suas forças. Sentimento de extrema angústia e desespero.

Vervain
Para aquelas pessoas que se sentem donas da verdade e não aceitam as diferenças individuais. Querem convencer os outros de suas idéias e crenças.

Vine
Indicado para pessoas ávidas de poder, críticas, dominadoras e inflexíveis em suas atitudes. São muito capazes, seguros de si e não valorizam as opiniões dos outros.

Walnut
Vai ajudar na adaptação às mudanças, tanto emocionais como corporais. Pessoas que tendem a se deixar influenciar pelos outros e não confiam em seus próprios valores.

Water Violet
Para as pessoas que tendem a ser mais reservadas, distantes, tem medo de se expor e buscam o isolamento.

White Chestnut
Quando pensamentos não desejados circulam compulsivamente a cabeça. Esta falta de controle sobre o pensamento leva à depressão, à falta de concentração e a pessoa fica em constante conversação mental.

Wild Oat
Para aqueles que não definiram um caminho na vida. Não tem uma meta a seguir. O floral vai ajudar a reconhecer o próprio potencial e a desenvolvê-lo.

Wild Rose
Indicado para estado de apatia, resignação, falta de interesse e objetivos a seguir.

Willow
Para as pessoas que se sentem vítimas e culpam os outros por seu fracasso em todos os níveis. O floral vai ajudá-la a ter uma atitude positiva, assumindo plena responsabilidade por suas experiências.

Rescue
É o remédio para todas as situações de emergência. Ele é composto de Star of Bethlehem, Rock Rose, Impatiens, Cherry Plum e Clematis.

Os Segredos de Stoneheng...

domingo, 14 de abril de 2013



Visto à distância, o círculo de pedras cinzentas denominado Stonehenge afigura-se pequeno na planície desolada e batida pelos
ventos de Salisbury, no sul da Inglaterra. O horizonte ermo e plano é apenas interrompido por Stonenhenge, rodeado de campos de pastagem. Mais próximo do monumento, porém, as dimensões colossais dos blocos de pedra, alguns com mais de 4 m de altura, causam uma viva impressão.

Stonehenge parece desafiar as forças do tempo e da Natureza, bem como as pretensões dos que procuram descobrir seu significado. Podem interrogar-se cem vezes estes gigantes de pedra tosca que tristemente contemplam os seus companheiros derrubados; a nossa curiosidade, porém, abate-se ante o vasto silêncio luminoso que os envolve...

MAIS ANTIGO QUE OS DRUIDAS

No século XVII, anteriormente ao advento da arqueologia como ciência, os historiadores pensavam que Stonehenge fora construído pelos druidas, os sacerdotes vestidos de branco dos celtas da Grão-Bretanha e da Gália, dos quais se tinha conhecimento através de referências da autoria de escritores romanos. Atualmente, esta idéia é ainda largamente difundida, embora não contribua minimamente para esclarecer o mistério, pois é do conhecimento geral que Stonehenge já existia, pelo menos, 1000 anos antes dos druidas.

No entanto, a teoria dos druidas não é de modo nenhum a mais rebuscada das várias explicações oferecidas por arqueólogos e
historiadores para explicar a existência de Stonehenge.

O interesse por tão fantasiosas idéias foi ainda intensamente estimulado após a descoberta nas proximidades de várias sepulturas
pré-históricas contendo punhais de bronze e ornamentos de uso pessoal de folha de ouro, osso, âmbar, cerâmica e pedra polida.

A mais famosa descoberta deste tipo foi relatada em 1808 pelo conhecido arqueólogo inglês Sir Richard Colt Hoare, que organizou a
escavação de um monte funerário pré-histórico muito próximo de Stonehenge. Deparou-se-lhe o esqueleto de um homem alto e vem
constituído, junto do qual se encontravam um machado, vários punhais e objetos de cerimonial, incluindo uma clava com a parte superior de pedra polida e engastes de osso trabalhado. Havia ainda um gancho para bainha de espada de ouro, delicadamente lavrados com uma profusão de linhas e que provavelmente estariam presos ao vestuário do morto.

A magnificência destes túmulos dourado, aliada ao caráter único da arquitetura de Stonehenge, sugeriu a Sir Richard e aos seus
contemporâneos a concepção de que os bretões antigos teriam certamente importado ad técnicas que utilizavam. Alguns arqueólogos atribuíram a grande riqueza destes túmulos a um pequeno invasor de guerreiros da idade do bronze que se teria fixado em Stonehenge e orientado a população nativa menos qualificada na construção do monumento. Um dos lugares de origem propostos para estes invasores foi Micenas, a grande cidadela homérica, no continente grego. Alguns dos objetos preciosos, nomeadamente as contas de cerâmica e os discos de âmbar ligados como ouro, indicavam relações comerciais com a região do mar Egeu e remotamente com e Egito

Outro local de origem atribuído a estes invasores da idade do bronze seria a Bretanha, região famosa pelos espetaculares monumentos de menires - grandes pedras fixadas na posição vertical-, como os que existem em Carnac, onde milhares de enormes blocos se encontram dispostos em filas paralelas.

Também nesta zona se concentra o maior número de túmulos individuais de guerreiros ostentando riquezas notáveis, se bem que não existam provas de que foi este povo da idade do bronze o construtor das pedras de Carnac. Não há dúvida, porém, de que o tipo de objetos descobertos nos montes funerários da Bretanha, especialmente os punhais de bronze, apresentam semelhança flagrantes com os da região de Stonehenge.


RELAÇÕES COMERCIAIS COM O MEDITERRÂNEO?

A determinação de uma nova data para Stonehenge (cerca de 2.750 ac) obtida pelo processo do carbono-14 causou grande surpresa no meio arqueológico. O plano Stonehenge não poderia incontestavelmente ter-se inspirado na arquitetura da zona do mar Egeu, pois pertencia a uma época anterior; cerca de quatro ou cinco séculos - ao período micênico. Do mesmo modo, as datas de dois dos túmulos dourados eram muito mais tardias do que se presumia, e assim alguns objetos exóticos – os discos de âmbar e as contas de cerâmica - poderiam na realidade ter sido adquiridos ou importado do Mediterrâneo. Admite-se ainda a possibilidade de que, pelo mentos durante parte do período de prosperidade e poder da região de Stonehenge depois de cerca de 1.900 ªc , ali se tivessem fixado guerreiros bretões, que constituiriam o núcleo de uma aristocracia que governou pelo menos durante 600 anos.

IMPORTANTES LOCAIS DE REUNIÃO

De um modo geral, os círculos de pedra em torno de sepulturas são mais freqüentes no Norte que no Sul da Grã-Bretanha; estes monumentos assinalam provavelmente os túmulos de chefes ou grandes guerreiros importantes.

Na última década, o interesse do grande público foi despertado por determinadas teorias que apresentavam Stonehenge como um complicado observatório astronômico, talvez mesmo uma espécie de computador pré-histórico.

A estrutura de Stonehenge parece ainda incluir alinhamentos relativos ao nascer e ao ocaso da Lua. A curiosidade ciêntifica ou objetivos religiosos, ou provavelmente ambos, poderiam explicar o estudo sistemático dos movimentos da Lua levados a efeito em Stonehenge. O interesse dos construtores pela Lua pede perfeitamente ter sido despertado quando chegaram a conclusão de que a Lua não segue os movimentos anuais do sol.

Na realidade, além do seu próprio esquema mensal relativo ao nascer e ao ocaso, a Lua segue um outro ciclo que dura 18,61 anos. Próxmo da entrada do monumento, cerca de 40 pequenas covas para a fixação de postes, agrupados em seis filas, coincidem de modo notável com a posição mais setentrional da Lua durante este ciclo. Dado que as filas são em número de seis, é possível que estes postes correspondam a seis ciclos lunares, ou seja a mais de um século de meticulosa observação dos movimentos da Lua.

A explicação definitiva está, porém, longe de ser alcançada, pois o monumento conserva um halo misterioso que tem resistido, durante séculos, a pesquisas e suposições. Se Stonehenge foi muito provavelmente um observatório e um templo, pode também ter servido outros objetivos que continuam a pertencer ao reino do desconhecido.


Retirado de Wicca Ipatinga.
Por Evan Hadingham

As Origens da Wicca...

sábado, 2 de março de 2013



A pedidos aqui esta uma breve postagem sobre as origens da bruxaria Wicca...

Segundo os estudiosos da Pre-Historia,a primeira demonstração de arte devocional foram as MADONAS NEGRAS,  encontradas em cavernas do período neolítico  Portanto as Deusas da fertilidade foram os primeiros objetos de adoração dos povos primitivos.
Da mesma forma que nossos antepassados se maravilharam ao ver a mulher dando a luz a uma criança, todo o universo deveria Ter sido criado por uma Grande Mãe. Entre os povos que dependiam da caça surgiu o culto ao Deus dos animais e da fertilidade, também conhecido como "Deus de Chipes" ou "Cornífero". Os chifres sempre representaram a fertilidade, coragem e todos os atributos positivos da energia masculina, representando também a ligação com as energias cósmicas.
Hoje a ligação do Deus Cornífero é bastante problemática, pois com o advento do cristianismo, ele foi usado para personificar a figura do Diabo, entidade criada pelas religiões Judáicas-cristãs.
Como a bruxaria já existia a muitos milhares de anos antes do cristianismo, não tem nada a ver com o Diabo, que é adorado apenas pelo Satânismo, que é um culto anti-cristão.
Existem vários ramos da bruxaria, em diversas partes do mundo, mas aqui nos ocupamos nos ocupando da Wicca. A wicca surgiu no período Neolítico em várias regiões da Europa onde hoje se localizam a Irlanda, Inglaterra, País de Gales, Escócia indo até o sudoeste da Itália e a região Britânica na França..
Quando os Celtas invadiram a Europa, quase mil anos antes de cristo, trouxeram suas próprias crenças, que ao se misturarem às crenças da população local, originaram o sistema que deu nascimento a Wicca. Com a rápida expansão deste povo, ela foi levada para regiões onde se encontram nos dias de hoje: Portugal, Espanha e Turquia.
Embora a Wicca tenha se firmado entre os Celtas, é importante lembrar que a bruxaria é anterior a eles! Mas como esse povo foi mantenedor da tradição, é importante que conheçamos o rudimento de seus pensamentos e cultura..O Panteão Celtz, ou seja, o conjunto de Deuses e Deusas dessa cultura é o mais usado nos rituais da wicca , embora possamos trabalhar com qualquer Panteão, desde que conheçamos o simbolo correto, e não misturemos os Panteões, num mesmo ritual.
A sociedade Celta era Matrifocal, isto é, o nome e os bens eram passados de mãe para filha. Homem e mulher tinham os mesmos direitos, sendo a mulher respeitada como sacerdotisa  mãe, esposa e guerreira, participando das lutas ao trabalho dos homens. O culto da grande mãe e do Deus Cornífero predominaram nas regiões da Europa, dominadas pelos Celtas, que nessa época já estavam sendo dominados pelos Druidzs, que representam uma introdução ao patriarcalismo. Porém, em muitos lugares, a religião da grande Mãe continuou a ser praticada, pois havia certa tolerância por partidos romanos, chegando certos ramos da wicca a incorporar elementos do Panteão Grego-Romano, especialmente na bruxaria.
Foi somente na Idade Média que a bruxaria foi religada com as sombras com o domínio da Igreja Católica e a criação da inquisição, cujo objetivo era eliminar de vez as antigas crenças, que era uma ameaça a um clero muito mais preocupado em acumular bens e riquezas do que propagar a verdadeira mensagem de Jesus.
Durante o tempo das fogueiras, o medo fez com que muitas bruxas permanecessem no anonimato para resguardar suas vidas e de seus familiares.
Muitos dos conhecimentos passaram a ser transmitidos oralmente, por medidas de segurança, e assim muito se perdeu. No presente um grupo de pessoas abnegadas e corajosas está redescobrindo recriando a nova bruxaria ou Neo Peganismo, como também é conhecido.

Lilith - O Lado Escuro da Lua...

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013



A LENDA ESQUECIDA

Essa é uma historia contada de varias maneiras, mas o ponto principal é que essa história diz que quando Deus criou Adão, também criou uma mulher, feita da Terra, da mesma forma que ele. Essa mulher era Lilith.
Lilith é referida na Cabala como a primeira mulher do bíblico Adão (…) No folclore popular hebreu medieval, ela é tida como a primeira esposa de Adão, que o abandonou, partindo do Jardim do Éden por causa de uma disputa, chegando depois a ser descrita como um demônio.
De acordo com certas interpretações da criação humana em Gênesis, no Antigo Testamento, reconhecendo que havia sido criada por Deus com a mesma matéria prima, Lilith rebelou-se, recusando-se a ficar sempre em baixo durante as suas relações sexuais. (…)
Assim dizia Lilith: “Por que devo deitar-me embaixo de ti? Por que devo abrir-me sob teu corpo? Por que ser dominada por ti? Contudo, eu também fui feita de pó e por isso sou tua igual.“

Adão se recusou a aceitar essa igualdade, insistindo em que Lilith deveria se deitar debaixo dele e argumentando que ele era superior a ela. Lilith não quis se submeter, visto que ambos haviam sido criados da mesma forma, e abandonou o Éden. Adão foi se queixar ao Todo Poderoso, dizendo: “Soberano do Universo! A mulher que o Senhor me deu foi embora, fugiu.” Deus então mandou três anjos no encalço dela, dizendo a Adão: Se ela concordar em voltar, o que foi feito é bom. Se não, ela deverá permitir que uma centena de seus filhos morram a cada dia.”

A partir daí, Lilith foi demonizada, pois ela se recusou em voltar.
O fato de que uma mulher que se recusou a ser submissa ao marido tenha sido transformada em demônio nos mitos não surpreende, mas não deixa de ser curioso o fato de que existem vestígios da história dela na Bíblia, os quais teriam sido expurgados quase por completo. Leia mais sobre isso aqui: A Primeira Mulher.

UM POEMA


No livro “O Oráculo da Deusa”, há um belo poema sobre Lilith, que expressa bem suas características:

Eu danço a minha vida para mim mesma
Sou inteira
Sou completa
Digo o que penso
E penso o que digo

Eu danço a escuridão e a luz
O consciente e o inconsciente
O sadio e o insano
E falo por mim mesma
Autenticamente
Com total convicção
Sem me importar com as aparências

Todas as partes de mim
Fluem para o todo
Todos os meus aspectos divergentes tornam-se um

Eu ouço
O que é preciso ouvir
Nunca peço desculpas
Sinto os meus sentimentos

Eu nunca me escondo
Vivo a minha sexualidade
Para agradar a mim mesma
E agradar aos outros

Expresso-a como deve ser expressa
Do âmago do meu ser
Da totalidade da minha dança

Eu sou fêmea
Sou sexual
Sou o poder
E era muito temida.

O Livor o Oraculo da Deusa esta disponível em nossa pagina de Download, aos interessados boa leitura. Adonai povo da Deusa.

O Banimento de Hécate...

terça-feira, 5 de fevereiro de 2013



O banimento nada mais é que afastar as pessoas que  tem energias perigosas a uma pessoa ou a um local e  também destrói pensamentos de baixas vibrações.
Vale ressaltar que o banimento irá banir apenas o  que Realmente estiver causando malefícios e afastar  (reencaminhar) somente as pessoas que Realmente  estão agindo contra você de formas destrutivas,  portanto não atue em rituais e orações com  caprichos, pois a Deusa sabe o que realmente é  verdade e é na verdade que Ela agirá!

Deusa da sombra lunar hoje lhe peço pra me  auxiliar,
Oculta em teus mistérios, hoje venho lhe saudar,
Deusa da magia lhe invoco pra banir as más  energias,

Leva em tua sombra o negativo que me permeia,
Leva contigo as energias densas que a mim emanam,
Apaga oh Grande Deusa meu nome das mentes do mal,

Afasta minha Deusa aqueles que não me são luz,
Afasta os que não me são leais,
Protege-me Hécate dos amigos oportunistas, dos  amores vampíricos, dos entes negativos,

Bane em minha vida tudo e todos aqueles que me  atrasam, sugam e magoam,
Bane Hécate com tua força o mal que me é lançado,
Bane minha Deusa os ingratos e os falsos,

Na sombra de tua Lua me esconde e protege,
Pois com tua ajuda o mal já não me encontra,
E no teu caminho hei de seguir, pelo traçado da  Grande Deusa, liberta(o) estou a ressurgir!

Adonai Assim Seja, Assim se Faça!

A Wicca Não é...



A Wicca é uma Religião que não faz uso, nutre ou  apóia quaisquer expressões de Maniqueísmo,  Proselitismo ou Preconceitos.
O maniqueísmo é a crença na existência do “bem” e  do “mal” como forças contrárias e em eterna  disputa, onde de um lado temos um “mal absoluto” ou  “Demônio” em oposição a um “bem absoluto” ou  “Deus”, conceitos comuns a maioria das religiões  monoteístas. Na Wicca não cremos em tais conceitos,  pois sabemos que somos animais e fazemos parte da  natureza, e a natureza desconhece tais conceitos,  existindo apenas os instintos motivados pela  necessidade, a teia alimentar e a lei da  sobrevivência do mais apto e sua seleção natural.
Proselitismo é o uso de discursos, sermões e  pregações públicas com o objetivo de convencer,  converter e arrebanhar fiéis. Esta prática, comum a  muitas religiões, é uma invasão desrespeitosa ao  espaço pessoal, causa desconforto, pode gerar  conflitos, além de ser uma violação ao direito de  livre arbítrio do ser humano. Todos têm a  capacidade de buscar por si mesmos seu caminho  espiritual e o direito de escolherem a fé que  desejarem. Wiccanos não precisam converter ninguém,  pois não reconhecemos os conceitos de pecado,  salvação ou sofrimento eternos; além de  acreditarmos que quando temos afinidade pelos  deuses antigos, recebemos o “Chamado da Deusa”.
A Wicca não nutre preconceitos de qualquer espécie  nem exclui pessoas de quaisquer grupos, gênero,  orientação sexual, cor, religião, procedência,  deficiência física, forma de pensar ou qualquer  outra espécie. Todos são aceitos em nossa religião,  pois a Deusa é a natureza, plena em diversidade, e  abençoa a liberdade, o amor e o prazer de ser o que  se é. Da mesma forma, wiccanos devem respeitar  todas as diferenças que existem entre as pessoas,  procurando conviver em harmonia com todos,  inclusive com pessoas de outras religiões, visto  que não reconhecemos conceitos como “verdade  absoluta” ou “único caminho”.

Texto escrito pelo Sacerdote Diogo Ribeiro

A Wicca é...



A Wicca é uma religião neopagã, mítica, politeísta,  iniciática, de culto dualista e orientação  matrifocal.
A palavra paganismo vem do termo latino “paganni”,  que significa “do campo”, referindo-se aos povos  essencialmente agrícolas, seus costumes e crenças.  Portanto, religiões pagãs eram todas aquelas onde  se cultuavam os deuses da natureza e seus  fenômenos, geralmente objetivando garantir boas  colheitas. Como atualmente nossa sociedade não é  mais basicamente agrária, e nem cultuamos os  antigos deuses exatamente como no passado, hoje  utilizamos o termo neopagão.
Religiões míticas são aquelas baseada em algum  sistema mitológico, onde os deuses são personagens  em histórias que teriam acontecido no passado, mas  que são relembradas e vivenciadas através de ritos  e cerimônias. A wicca não tem uma mitologia única,  pois cada tradição cultua diferentes panteões de  deuses. O que todas as tradições têm em comum,  independente de quais deuses cultuam, é que eles  são os responsáveis pela sucessão dos ciclos  sazonais.
O politeísmo é a crença e culto em vários deuses,  com atributos e personalidades próprias, em  oposição ao conceito de Monoteísmo, que prega a  existência de um único deus todo-poderoso.
Religiões iniciáticas são aquelas onde é necessário  passar por um determinado período de preparação e  alguns ritos, para que uma pessoa possa ser  considerada oficialmente um membro.
O dualismo é a crença de que, dentro de tudo que  existe no universo, existem forças opostas e  complementares, como luz e trevas, masculino e  feminino, yin e yang. Assim, a Wicca possui um  culto dualista, porque, apesar de acreditarmos em  vários deuses, durante nossas celebrações  escolhemos um casal de deuses para representar a  Grande Deusa Mãe, e sua contraparte, o Deus  Cornífero.
O matriarcado era uma estrutura de organização  social presente na maioria das antigas  civilizações. Nessas sociedades, a mulher tinha um  papel de destaque, onde elas assumiam a liderança  familiar e religiosa. O feminino era reverenciado  pelo fato de somente as fêmeas serem capazes de dar  à luz – um atributo mágico e sagrado da natureza,  que é a Grande Deusa Mãe. Apesar disso, nessas  sociedades, homens e mulheres eram tratados como  iguais; diferente da atual sociedade patriarcal em  que vivemos, onde a mulher é considerara inferior  aos homens. Da mesma forma, na Wicca valorizamos a  igualdade entre os gêneros. Os homens apenas  precisam ter um respeito especial pelas mulheres,  pois todos nasceram de uma mulher.

Texto escrito pelo Sacerdote Diogo Ribeiro

Energia Intima Merece Atenção...

domingo, 3 de fevereiro de 2013



Adonai povo da Deusa...

Durante algum tempo ouvi muitas pessoas falarem no livro 50 Tons de Cinza ate que eu decidi por ler esse livro, e ver o que tinha de tão estupendo. Sou do tipo de pessoa que le livros por indicação de outras pessoas, mas eu me arrependi muito ao ler 50 Tons de Cinza, é uma historia Fraca e sem fundamentos. Pra mim é uma Fanfic de Crepúsculo (Fanfic é a abreviação do termo em inglês fan fiction, ou seja, "ficção criada por fãs") E foi lendo aquele livro que eu tive a ideia de fazer esse post. E adverto!!

PRESTEM ATENÇÃO a quem você compartilha sua energia íntima. A intimidade, a este nível, entrelaça sua energia com a energia da outra pessoa. Essas conexões poderosas, independentemente de quão insignificante você acha que elas sejam, deixam detritos espirituais, particularmente nas pessoas que não praticam qualquer tipo de limpeza física, emocional ou de outra forma...
Quanto mais você interagir intimamente com alguém, mais profunda será sua ligação e mais suas auras se entrelaçarão. Imagine a aura confusa de alguém que dorme com várias pessoas e absorve estas múltiplas energias?
O que elas podem não perceber é que há energias que conseguem repelir a energia positiva e atrair, assim, energia negativa em sua vida.

Por isso eu sempre direi, nunca durma com alguém que você não gostaria de ser.


Não estou criticando o gosto literário de ninguém  apenas falei o que eu achei sobre o livro em si, e eu não achei um boa coisa a "historia" tratada nos livros 50 Tons de Cinza, 50 Tons Mais Escuros e 50 Tons de Liberdade.

Sabbath de Fevereiro - Lughnasadh...



Lughnasadh é também conhecido como Lammas ou Festival da Primeira Colheita.
Dia sagrado no paganismo, tendo origem principalmente Celta.
Celebrado no dia 2 de Fevereiro no hemisfério Sul e no dia 1º de Agosto no hemisfério Norte.

É importante lembrar que os Sabbaths  não são originários da Wicca. São comemorações muitos mais antigas do que essa religião que apareceu por meados da década de 50, que agregou essas, e outras características a sua doutrina.
Esse sabbath, que ocorre entre o Solstício de Verão (Litha) e o Equinócio de Outono (Mabon), festa da primeira colheita, uma época de agradecimento aos Deuses por tudo o que colhemos. Agradece-se ao que foi bom e também ao que pareceu ruim, pois na religião Wicca crê-se que tudo o que acontece na vida faz parte no caminho evolutivo de cada um.
O nome Lughnasadh veio duma festa agrícola típica dos Céltico. Uma festa da colheita em honra ao deus céltico do Sol: Lugh (o maior guerreiro dentre os celtas, pois derrotou os gigantes que exigiam sacrifícios humanos).
Já o nome Lammas significa "Missão do Pão (loaf Mass)", que representa o alimento (geralmente pão ou bolo ou qualquer outra massa) feito com os grãos, que representam a colheita, e repartido (como alimento sagrado) entre os membros do coven ou da família ou mesmo entre amigos. Este nome vem do costume medieval de levar os primeiros pães (bolos, etc) para uma celebração.
As noites já começaram a ficar mais longas, desde o Solstício de Verão; aproximando-se a época da partida do Deus para a Terra de Verão, deixando a sua própria semente no ventre da Deusa, de onde renascerá (mantendo o eterno ciclo do nascer-morrer-renascer).



Troca Troca de Religião...

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Adonai povo da Deusa!!
Bem estava na internet observando blogs conhecidos, quando um post (repostagem na verdade) do blog Wicca Ipatinga me chamou a atenção, e como achei uma coisa importante de fato resolvi postar aqui para que vocês possam ler!

O assunto é o troca-troca de religião que as pessoas insistem em fazer.

Quando a gente faz uma opção por determinada religião é pra seguí-la. Isso significa que estamos nos identificando com a nova religião e que a antiga, que seguíamos antes, já não condiz com as nossas crenças.

O que acontece muito é que a pessoa se diz wiccana e ao mesmo tempo é católica ou espírita e etc. Ora, não tem como seguir duas religiões ao mesmo tempo, ou você é ou não é. Então, se você ainda não tem certeza que quer ser wiccano, então não se inicie. Fique nos estudos, participe como convidado, se quiser, mas se não está preparado para seguir a religião, não tem porque se iniciar.

Vou dar um exemplo claro disso: Tenho certeza que cada um de nós conhece alguém que mudou de religião. Um exemplo muito comum disso são pessoas que eram católicas e que se tornaram evangélicas. Pois então, vocês já viram essas pessoas irem ao culto num dia e à missa no outro? Eu nunca vi. Isso significa que elas optaram por seguir a outra religião e deixaram pra trás tudo aquilo que seguiam pra seguir uma nova doutrina, um novo estilo de vida, uma nova forma de encarar a vida religiosa.

Na Wicca não é diferente.

A Wicca é uma religião séria e que tem que ser vista com seriedade. Mas isso, infelizmente está faltando. As pessoas continuam insistindo em coisas que aprenderam nos filmes.

Tem gente que pensa que a minha casa é como um terreiro de Pai de Santo. (nada contra os Pais de Santo, cada um com a sua religião, respeitosamente.). O que eu quero dizer é que tem gente que insiste em querer vir aqui pra eu fazer um “trabalho” pra determinada coisa.

Gente, eu não faço isso!
Eu sou wiccana, sigo a religião da Deusa Mãe, celebro os Sabbaths, Esbbaths, etc...

Se você não sabe o que é Wicca, tem tópicos explicativos aqui mesmo neste blog. Por favor, leia e se informe antes de sair por aí tirando conclusões sem sentido.

Não fiquem fazendo perguntas absurdas, procure aprender.

Na igreja católica e na evangélica as pessoas fazem estudos bíblicos pra conhecer a Bíblia mais aprofundadamente, certo? No Islamismo as pessoas lêem o Alcorão e rezam cinco vezes ao dia em horários determinados, obrigatoriamente.

Então, na Wicca também nós estudamos muito sobre todos os ciclos, os significados dos símbolos e tudo mais que envolve nossa religião.

Parem de achar que Wicca e espiritismo são a mesma coisa, porque NÃO SÃO.

Espiritismo é outra religião, Catolicismo é outra religião, Budismo, Indianismo, Islamismo, etc. Todas as religiões têm a sua particularidade. Elas não se misturam. Então por que misturar a Wicca com outras religiões? Isso definitivamente não é possível.

Espero que tenham o interesse de ler e aprender. A Wicca é uma religião muito bonita. É uma pena que seja vista com essa “distorção”.

Um dia desses alguém me perguntou qual tradição eu seguia e eu disse: Tradição Diânica. E ele me respondeu: mas indianismo não tem nada a ver com Wicca.

Eu não disse indianismo. Eu disse TRADIÇÃO DIÂNICA. Nome dado em homenagem à Deusa Diana. E realmente, indianismo não tem nada a ver com isso. Ele nem prestou atenção ao que eu disse. E o que é pior, não conhece a Tradição Diânica, sendo que a primeira coisa que a gente faz é estudar sobre Wicca. Então, se ele estudou, como não conhece as tradições?

Isso significa que não estudou. Então não venha me fazer perguntas idiotas.

Eu conheço um pouco de cada religião, já fiz estudos delas e sei falar um pouco de cada uma. Acho que todos deveriam fazer isso, não só com a Wicca, mas com todas as religiões. Pare um pouco e estude. Pra entender o que cada religião segue, quais são os mandamentos, doutrinas e etc. Aprenda e se eleve culturalmente, não custa nada e você ainda sai ganhando em conhecimento.

Eu respeito todas as religiões, que tal respeitar a minha?



Texto de Viviane Lopes, Blog: Wicca Ipatinga.


Circulo Mágico...



ABRINDO O CÍRCULO


1. Pegue a VARINHA Mágica ou o ATHAME e vá até o Norte.

2. Visualize um raio, tipo um laser, saindo da ponta do seu objeto escolhido. 

3. Dê uma volta, devagar, no sentido horário, até chegar novamente ao Norte. 

4. Então diga: 
- "Pelo poder da Deusa e do Deus, eu traço este Círculo Sagrado. 
Deste espaço nenhum mal sairá, e nele nenhum mal poderá entrar"! 

Depois de traçar o Círculo, você deve invocar os Guardiões dos quatro Quadrantes, acendendo uma VELA ...

Amarela
Quadrante: Leste;
Representa: Nascer do Sol;
Elemento: AR;


Vermelha
Quadrante: Sul;
Representa: O Sol do meio-dia;
Elemento: FOGO;


Azul
Quadrante: Oeste;
Representa: O Crepúsculo;
Elemento: ÁGUA;


Marron
Quadrante: Norte;
Representa: A meia-noite;
Elemento: TERRA;

Agora se deve invocar a Deusa e o Deus, vá até o centro do Círculo e faça as invocações. Elas podem ser as seguintes: 

- "Deusa graciosa, você é a Rainha dos Deuses; A Lâmpada da noite; A criadora de tudo que é selvagem e livre; Mãe das mulheres e dos homens; Amante do Deus e protetora de toda a Wicca; Descenda, eu suplico; Com seu raio de força lunar; Aqui, sobre o meu Círculo".

- "Deus brilhante, você é o Rei dos Deuses; Senhor do Sol; Mestre de tudo que é selvagem e livre; Pai das mulheres e dos homens; Amante da Deusa e protetor de toda a Wicca; Descenda, eu suplico; Com seu raio de força solar". 


Começa então o RITUAL de abertura do Círculo, e cada participante agradece a Deusa por estarem presente e falam:

LESTE: Salve os Guardiões das Torres do Leste. Venham juntar-se a nós neste Círculo, Poderes do AR , vinde! Vigiem este espaço sagrado. Nós o saudamos! Todos ficam em forma de um Pentagrama. 

SUL: Salve os Guardiões das Torres do Sul. Venham juntar-se a nós neste Círculo, Poderes do FOGO , vinde! Vigiem este espaço sagrado. Nós o saudamos! Todos ficam em forma de um Pentagrama. 

NORTE: Salve os Guardiões das Torres do Norte. Venham juntar-se a nós neste Círculo, Poderes do TERRA , vinde! Vigiem este espaço sagrado. Nós o saudamos! Todos ficam em forma de um Pentagrama. 

OESTE: Salve os Guardiões das Torres do Oeste. Venham juntar-se a nós neste Círculo, Poderes do Água, vinde! Vigiem este espaço sagrado. Nós o saudamos! Todos ficam em forma de um Pentagrama. A Alta Sacerdotisa, ou Sacerdote, desenha o Pentagrama de Invocação e o RITUAL começa. 




FECHANDO O CÍRCULO



A Alta Sacerdotisa e o Sacerdote agradecem à Deusa e ao Deus por terem estado presentes, e aos Elementos. Casa pessoa volta ao seu lugar e diz: 

LESTE: Salve os Guardiões das Torres do Leste. Poderes do AR , nós agradecemos sua presença aqui, como guardiães no nosso Círculo. Vão em paz, oh! grandes Guardiões do Leste, com nossas bênçãos e nosso agradecimento. Obrigado e voltem sempre! Todos ficam em forma de Pentagrama.

SUL: Salve os Guardiões das Torres do Sul. Poderes do FOGO , nós agradecemos sua presença aqui, como guardiães no nosso Círculo. Vão em paz, oh! grandes Guardiões do Sul, com nossas bênçãos e nosso agradecimento. Obrigado e voltem sempre! Todos ficam em forma de Pentagrama.

NORTE: Salve os Guardiões das Torres do Norte. Poderes da TERRA , nós agradecemos sua presença aqui, como guardiães no nosso Círculo. Vão em paz, oh! grandes Guardiões do Norte, com nossas bênçãos e nosso agradecimento. Obrigado e voltem sempre! Todos ficam em forma de Pentagrama. 

OESTE: Salve os Guardiões das Torres do Oeste. Poderes do Água, nós agradecemos sua presença aqui, como guardiães no nosso Círculo. Vão em paz, oh! grandes Guardiões do Oeste, com nossas bênçãos e nosso agradecimento. Obrigado e voltem sempre! Todos ficam em forma de Pentagrama.

A Alta Sacerdotisa, desenha o Pentagrama de expulsão e mais uma vez agradece, e só então se fecha o Círculo com o ATHAME de novo, dizendo três vezes:

"O CÍRCULO SE DESFAZ, MAS ELE NUNCA SE ROMPE" 

Ainda em forma de Pentagrama, faça uma meditação e visualize, o Círculo em tons de azul, subindo em direção aos DEUSES . 


Seres Misticos - Fadas...

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013




Muito se diz sobre as fadas, vemos uma realidade bem diferente em filmes, Mas como vamos ver e como devemos saber. Fadas são um tipo de povo e não um único ser.

O termo fada geralmente se aplica a quatro tipos de entidades:
 Seres com poderes sobrenaturais e que habitam o éter.
Certos monstros e demônios que tenham algumas das características de fadas.
Fadas naturais, da natureza ou elementais: Fadas que se acreditava serem alguns dos espíritos que povoam todos os lugares e objetos na Terra, todos os elementos. As fadas da natureza podem ser sereias, ondinas, espiritos das árvores e etc.
Pessoas do país das fadas, povo das fadas (A que vou me ater nesse post) ou as fadas verdadeiras, ou ainda raça Elfin. Pessoas do país das fadas ou povo das fadas, de acordo com a crença celta, são uma raça de seres, os homólogos da humanidade em pessoa, possuem ocupações e prazeres, mas são insubstanciais  normalmente invisíveis, silenciosos em seus movimentos, e tendo como suas habitações subterrâneas os montes verdes de rocha ou terra. Eles são geralmente diminutos (menores que os humanos), geralmente muito pequenos como um pigmeu. Podem tornar-se invisíveis e visível à vontade, muitas vezes colocando e tirando um acessório ou capa mágica.

   Sua cor preferida é verde, não só para o vestido, mas às vezes para pele e cabelo, bem como, outras vezes podem preferir o mais pálido dos brancos ou o mais sangrento dos vermelhos.

  Fadas são geralmente consideradas inofensivas. Elas se deleitam em pregar peças; ordenhar vacas no campo, sujando roupas no varal, apropriando-se de alimentos, coalhar o leite e etc. Algumas fadas são ainda vistas como benevolentes, tendo dinheiro ou comida para dar aos pobres, oferecendo brinquedos para crianças, ou a neutralização dos feitiços ou pragas contra pessoas inocentes.

   Elas são viciadas em visitar os redutos dos homens, às vezes, para dar assistência, mas com mais freqüência para tirar o benefício de seus produtos e trabalhos, e às vezes até das próprias pessoas. Elas podem estar presentes em qualquer lugar sem que os mortais possam vê-las. Sua interferência não é sempre sinonimo de fazer o bem, no final, pode se até revelar destrutiva. Se ofendida, uma fada vai retaliar com vingança resoluta; punições comuns contra ofensas humanas são queimar casas e saquear lavouras.

Fadas por poderem viver debaixo d'água, na floresta ou no topo de montanhas têm sustentado relacionamentos longos com os animais selvagens de seu reinos. Elas falam a linguagem dos animais que obedecem seus comandos simplesmente para ajudá-los em várias tarefas. Há muitos relatos de lutins (goblins franceses) montando uma raposa e recolhendo frutos em toda a floresta. No ar, os elfos podem pedir a qualquer pássaro para transportá-los através de longas distâncias. Algumas lendas dizem também dos poderes sobrenaturais sobre o crescimento das plantas, podendo tanto abençoar seu crescimento como maldizer sua morte.

Seres Misticos - Dragões...

domingo, 27 de janeiro de 2013


Bem esse  post sobre os Dragões, eu decidi dividi-lo em trés partes facilitando a compreensão do leitor. Tenham uma boa leitura.


  • O que é A Magia Draconiana ou Dragon Magic??

A Magia Draconiana, a magia com a elaboração dos dragões, é um ramo de magia não ligado à Wicca que, como o próprio 

nome diz, lança mão do contato e da energia mágica  dos dragões. Os praticantes da Magia Draconiana usam a magia de modo totalmente diferente de nós dos wiccanos.

Antes de mais nada, é preciso sublinhar que existem pouquíssimas fontes disponíveis sobre o tema e, até o momento, nenhuma em português (...)

E vale a pena lembrar aos curiosos que a Magia Draconiana não faz parte de um conto de fadas, não é exatamente como é exibida em filmes nos cinemas. Sonhadores ACORDEM!!!


  • O Que é um Dragão??

Dragões são seres que habitam um dos muitos planos astrais com os quais temos contato e que tocam nosso mundo de alguma maneira. Se os dragões alguma vez tiveram existência física neste plano é algo que não se pode afirmar, mas a universidade das lendas e mitos sobre esses seres nos leva a deduzir que eles fazem visitas freqüentes ao nosso plano desde a aurora da humanidade.

Existe uma lenda segundo qual, quando os dragões encontraram o ser humano pela primeira vez, ainda nos primórdios da espécie humana, em sua sabedoria, eles decidiram cuidar da criança que nascia, essa nova espécie, a fim de ajudá-la a se desenvolver. Mas os seres humanos se mostraram tão cruéis uns com os outros que os dragões começaram a achar que não valia a pena cuidar da humanidade e por isso foram se retirando mais e mais para seu próprio plano, até não serem mais avistados neste mundo.

No entanto, a mudança de comportamento de alguns humanos, que possibilitaram a volta da Deusa e o fortalecimentos dos 

movimentos ecológicos, fez com que alguns dragões se disputassem a se aproximar da humanidade novamente, desde que a iniciativa partisse de nós.

Como habitam um plano que consideramos astral, os dragões podem assumir qualquer forma e tamanho que desejam, mas costumam assumir a forma humana para se comunicar melhor com o homem.

Desde a aurora dos tempos, os dragões são atraídos pela magia, pois é por meio dela que essas criaturas criam vida nesta dimensão. É por isso que os praticantes de Magia podem entrar em contato com os dragões.

Os dragões são seres sábios e poderosos, que possuem um código de ética extremamente rígido e elevam muito a sério os compromissos que assumem ou que são assumidos com eles. Costumam reagir com extrema violência quando sentem que foram usados ou traídos de alguma maneira. A prática da Dragon Magick, portanto, exige disciplina, comportamento ético em todas as áreas da vida, respeito pelo livre-arbítrio de outros seres e respeito e reverência pela vida e pelos 
compromissos assumidos.


  • O Que é Preciso pra Praticar A Magia Draconiana??

Antes de qualquer outra coisa, é preciso saber por que você quer praticar esse tipo de magia. Se sua motivação básica é o respeito e o amor pelos dragões e pela magia, vá em frente. Mas, se seu objetivo é ganhar poder para impressionar os outros, desista enquanto é tempo.

Se sua motivações forem dignas e seu desejo sincero, comece a aprofundar seu conhecimento e sua conexão com os elementos. Compre estatuetas e jóias de dragões, uma vez que eles são atraídos por pessoas que gostem deles e exibem com orgulho esse amor.

O ideal é que você tenha um altar exclusivo para a prática da Dragon Magick, com instrumentos consagrados apenas para esse fim. Você vai precisar dos instrumentos básicos, athame, bastão, cálice e pentagrama, e mais: um espelho, um caldeirão e, se possível, uma espada.

O primeiro passo é estabelecer contato com os dragões. Pode-se ter sucesso na primeira vez que tentar ou pode levar vários meses. Esse primeiro contato é feito por meio de um ritual. Primeiro, faça uma meditação com Tiamat, a Grande Mãe Dragão primordial. Converse com ela, dizendo que você deseja se aproximar dos dragões e pedindo as bênçãos da Deusa. Uma vez que tenha obtido a bênção da Deusa, componha você mesmo um ritual no qual seja se aproximar e pedindo a um deles que seja seu companheiro mágico e guardião.
Ofereça incenso diariamente aos dragões, pois eles estão associados ao elemento fogo, e cante e dance com eles.

Quando um dragão se apresentar, criem um laço de amizade, amor e respeito mútuo com ele (ou ela). Passe algum tempo apenas estreitando esse laços. Convide-o a participar dos seus rituais, para que ele comece a fazer parte da sua vida mágica.

Quando sentir que sua conexão com ele está firme e plena, é hora de dar o passo seguinte. Peça a ele que o ajude a encontrar os instrumentos mágicos que você usará na prática da Dragon Magick.
Quando tiver os quatro principais, componha um ritual para sagrá-los. Trace o círculo, evoque a presença de seu Dragão 

Guardião e apresente-se às direções e aos dragões dos elementos, pedindo que eles o auxiliem em sua nova jornada mágica.
Consagre, então seus instrumentos dentro desse círculo.

A partir daí, comece a estreitar seu contato com os dragões associados a cada elemento. Medite com eles, dance e cante para eles. Procure acender velas em seu altar todas as noites, como uma homenagem aos dragões. Comece a evocá-los sempre que fizer magia, pedindo que eles acrescentem sua energia a seus feitiços e rituais. Você verá que eles começarão a lhe ensinar coisas , a propor trabalhos e novas idéias mágicas e a ajudá-lo a encontrar livros e outras fontes que auxiliem no seu desenvolvimento mágico. Eles estarão sempre presentes na sua vida, desde que você tenha atitudes coerentes e permaneça fiel ao seu próprio código de ética.


Os dragões são protetores fantásticos! Se você conseguir fazer amizade com um deles, terá um protetor leal para toda a vida. Mas eles também são seres dotados de pouquíssima paciência quando se trata de pessoas indisciplinadas, preguiçosas, hipócritas e falsas , e tendem a demonstrar seu desagrado de maneiras bastante evidentes.

Há quem acredite que a amizade com um dragão é para sempre. Não apenas para esta vida, mas para todas as futuras, por toda a eternidade e além. Por isso, pense muito bem antes de se decidir a trabalhar com eles. 

Os dragões já se decepcionaram uma vez com os seres humanos. Não vamos deixar que isso aconteça outra vez.

Elemento IV - Agua...

sábado, 26 de janeiro de 2013

ELEMENTO: ÁGUA
Direção Cardeal: Oeste
Regência: Emoções, sentimentos, amor, coragem, ousadia, tristeza, oceano, as marés, lagos e lagoas, córregos e rios, nascentes e poços, mente inconsciente, o útero, fertilidade
Hora: Crepúsculo
Estação: Outono
Cores: Azul, verde-azulado, verde, cinza, índigo, preto
Signos: Câncer, Escorpião, Peixes
Espírito: Ondinas, governadas por seu rei Niksa
Nome do Vento: Zéfiros
Sentido: Paladar
Jóia: Água-marinha
Incenso: Mirra
Plantas: Samambaias, lótus, juncos, algas marinhas, todas plantas aquáticas
Árvore: Salgueiro
Animais: Golfinhos, botos, peixes, focas e todas as criatura da água e aves do mar
Deusas: Afrodite, Ísis, Tiamat
Deuses: Dylan, Osíris, Netuno, Poseidon

ÁGUA...

Assim como os gnomos estão limitados em sua função aos elementos da terra, as Ondinas, os elementais da água, funcionam na essência invisível e espiritual, chamada éter úmido. A beleza parece ser uma característica comum dos espíritos da água. Onde quer que as encontremos representadas na arte e na escultura, são sempre cheias de graça e simetria. Controlando o elemento água - que sempre foi um símbolo feminino - é natural que os espíritos da água sejam com mais freqüência simbolizados como mulheres. Existem muitos grupos de Ondinas. Algumas habitam cataratas, onde podem ser vistas entre os vapores; outras têm o seu habitat nos pântanos, charcos e brejos. Entretanto outras, ainda, vivem em claros lagos de montanha. Em geral quase todas as ondinas se parecem com seres humanos na forma e tamanho, embora aquelas que habitam os rios e fontes tenham proporções menores. Normalmente elas vivem em cavernas de corais ou nos juncais à margem dos rios oudas praias. As Ondinas servem e amam sua rainha, Necksa. Elas são, antes de tudo, seres emocionais, amigáveis para com a vida humana e que gostam de servir à humanidade. às vezes são representadas cavalgando golfinhos marinhos e outros peixes grandes, e parecem ter um amor especial pelas flores e plantas, às quais servem de maneira tão devotada e inteligente quanto os gnomos. Os antigos 
poetas diziam que as canções das ondinas eram ouvidas no vento oeste e que sua vidas eram consagradas ao embelezamento da Terra material. 


Elemento III - Fogo...

ELEMENTO: FOGO 
Direção Cardeal: Sul
Regência: Energia, espírito, calor, chama, sangue, seiva, vida, vontade, cura e destruição, purificação, fogueiras, lareiras, chamas de velas, sol, desertos, vulcões, erupções, explosões.
Hora: Meio dia
Estação: Verão
Cores: Vermelho, dourado, carmesin, laranja
Signos: Áries, Leão, Sagitário
Ferramentas: Turíbulo, bastão
Espírito: Salamandras dirigidas por seu Rei Djinn
Nome do Vento: Notos
Sentido: Visão
Jóia: Opala
Incenso: Olíbano
Plantas: Hibisco, urtiga, cebola, papoulas vermelhas
Árvore: Amendoeira em flor
Animais: Leões, cobras, cavalos
Deusas: Brígida, Hestia, Pele, Vesta
Deuses: Agni, Héfaistos, Hórus, Prometeus, Vulcano


FOGO...

O terceiro grupo de elementais são as Salamandras, ou espíritos do fogo, que vivem no éter atenuado e espiritual que é o invisível elemento do fogo. Sem elas, o fogo material não pode existir; um fósforo não pode ser aceso e nem a pólvora produzirá suas chispas. O homem é incapaz de se comunicar adequadamente com as Salamandras, pois elas reduzem a cinzas tudo aquilo que se aproxima. Muitos místicos antigos preparavam incensos especiais de ervas e perfumes, para que quando queimados, pudessem provocar um vapor especial e assim formar em seus rolos a figura de uma Salamandra, podendo assim sentir a sua presença. MuitasSalamandras são vistas na forma de bolas ou línguas de fogo correndo através dos campos ou irrompendo nas casas. Para muitos aqui no Brasil, costuma-se chamar estas aparições de "fogo-santelmo". Mas, a maioria dos místicos afirma que as Salamandras são seres gigantes, imponentes e flamejantes em roupas fluídas, com uma armadura de fogo. Elas são os mais poderosos dos elementais e têm como seu regente um magnifíco espírito flamejante chamado Djim, terrível e aterrorizante na sua aparência. Os antigos sábios sempre foram advertidos para manter-se a distância delas, pois os benefícios derivados do seu estudo freqüentemente não eram proporcionais ao preço que se pagava por eles. Elas possuem especial influência 
sobre as criaturas de temperamento ígneo e tempestuoso. Tanto nos animais como no homem, as Salamandras trabalham através da natureza emocional por meio do calor corpóreo, do fígado e da corrente sanguínea. Sem sua assistência, não haveria calor. 



Elemento II - Terra...


 ELEMENTO: TERRA
Direção Cardeal: Norte
Regência: O corpo, crescimento, natureza, sustento, ganho material, dinheiro, criatividade, nascimento, morte, silêncio, grutas, campos e bosques, rochas, montanhas, cristais, jóias, metais, ossos e construções
Hora: Meio noite
Estação: Inverno
Cores: Preto, marrom, verde e brando
Signos: Touro, Virgem, Capricórnio
Ferramentas: Pentagrama
Espírito: Gnomos governados por seu Rei Chobb
Nome do Vento: Bóreas, Ophion
Sentido: Tato
Jóia Cristal de rocha, sal
Incenso Benjoim
Plantas Hera, cevada, aveia, milho, arroz, trigo
Árvore Carvalho
Animais Vacas, bois, cobras
Deusas Ceres, Deméter, Gaioa, Mah, Perséfone, Rea, Rhiannon
Deuses Adonis, Athos, Arawn, Cernunnos, Dionisio, Marduk, Pã, Tamuz


TERRA...

Os elementais que vivem no corpo atenuado da Terra, que se denomina éter terrestre, agrupam-se sob a denominação geral de Gnomos. Assim como existem muitos tipos de seres humanos evoluindo através dos elementos físicos objetivos da natureza, também há muitos tipos de gnomos desenvolvendo-se através do corpo etérico da natureza. Os Gnomos são chamados espíritos das árvores, os "homenzinhos velhos da floresta". Eles constroem casas com substâncias que se parecem com o alabastro, o mármore e o cimento, mas a verdadeira natureza desses materiais é desconhecida no plano físico. Afirma-se que cada arbusto, cada
planta, cada flor tem o seu espírito da natureza, que freqüentemente usa o corpo físico da planta como sua habitação. Quando uma planta é cortada e morre, seu elemental morre junto com ela, mas enquanto existir o menor traço de vida nesta planta, ela mostrará a presença do elemental guardião. Os Gnomos sempre se colocaram à disposição dos homens, desde que este nunca use seus poderes de maneira egoísta, para adquirir o poder temporal. Uma atitude desta faz com que estes elementais se voltem com toda sua fúria contra aquele que o decepciona. Os Gnomos são governados por um rei, pelo qual têm um grande amor e
reverência. Seu nome é Gob; daí seus súditos serem frequentemente chamados gobelinos. Os Gnomos casam-se e têm famílias, e as mulheres gnomos são denominadas gnomidas. Alguns usam roupas tecidas do elemento em que vivem. Em outros casos a sua vestimenta é parte deles mesmos e cresce com eles como o pêlo dos animais. Afirma-se que eles sejam muito gulosos e que gastam uma grande parte do tempo comendo; mas ganham o seu alimento através de um trabalho diligente e consciencioso. Muitos são de temperamento avaro e gostam de acumular coisas escondidas longe, em plantas secretas. Existem provas abundantes de que as crianças pequenas frequentemente vêem gnomos, na medida em que seu contato com o lado material ainda não está completo e que elas funcionam, mais ou menos conscientemente, nos mundos invisíveis.

Elemento I - Ar...



ELEMENTO: AR
Direção Cardeal: Leste
Regência: A mente, todos trabalhos psíquicos, intuitivos e mentais, conhecimento, aprendizagem abstrata, teoria, montanhas expostas ao vento, planícies, praias ventosas, picos de montanhas altas, torres altas, vento e respiração
Hora: Amanhecer
Estação: Primavera
Cores: Branco, amarelo vivo, carmim, branco-azulado, pastéis
Signos: Gêmeos, Libra, Aquário
Ferramentas: Athame, espada, turíbulo
Espírito: Silfos, governados pelo Rei Paralda
Nome do Vento: Euros
Sentido: Olfato
Jóia: Topázio
Incenso: Olíbano
Plantas: Olíbano, mirra, prímula, violeta, milefólio
Árvore: Álamo Tremedor
Animais: Pássaros, especialmente a águia e o falcão
Deusas: Aradia, Arianhod, Cardéia, Nuit, Urani
Deuses: Enlil, Khephera, Mercúrio, Shu, Toth

AR...

No último discurso de Sócrates, tal como foi preservado no Fédon de Platão, o filósofo condenado à morte diz: "... acima da Terra, existem seres vivendo em torno do ar tal como nós vivemos em torno do mar, alguns em ilhas que o ar forma junto ao continente; e numa palavra, o ar é usado por eles tal como a água e o mar o são por nós, e o éter é para eles o que o ar é para nós. Mais ainda, o temperamento das suas estações é tal, que eles não tem doenças e vivem muito mais tempo do que nós, e têm visão e audição e todos os outros
sentidos muito mais agudos que os nossos, no mesmo sentido que o ar é mais puro que a água e o éter do que o ar. Eles também têm seus templos e lugares sagrados em que os deuses realmente vivem, e eles escutam suas vozes e recebem suas respostas; são conscientes da sua presença e mantêm conversação com eles, e vêem o Sol, a Lua e as estrelas tal como realmente são. E todas suas bem-aventuranças são desse gênero". Eles são os mais altos de todos os elementais, já que seu elemento nativo é o de mais alta taxa
vibratória. Vivem centenas de anos, freqüentemente atingem um milênio de idade e nunca parecem envelhecer. O líder dos silfos é chamado Paralda e afirma-se que vive na mais alta montanha da Terra. Alguns acreditam que os Silfos se reúnem em torno da mente de um sonhador, dos artistas, dos poetas, e os inspiram com seu conhecimento íntimo das maravilhas e obras da natureza. Seu temperamento é alegre, mutável e excêntrico. A eles atribuem a tarefa de modelar os flocos de neves e arrebanhar as nuvens, tarefa esta que desempenham com a ajuda das Ondinas, que lhes fornecem a umidade.

Wicca - Os Elementos...

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013



É fundamental todo praticante de magia natural conhcer bem a fundo os elementos, pois estamos em contato e precisamos deles a todo momento em nossa religião.
 Terra, Ar, Fogo, Água. Essas quatro essências são os alicerces do universo. Tudo que existe (ou que tem potencial para existir) contém uma ou mais dessas energias. Os elementos vibram em nosso interior e estão também "espalhados" pelo mundo. Podem ser utilizados para gerar mudanças por meio da Magia. Os quatro elementos foram formados a partir da essência ou poder fundamental - Alhasha (espirito, poder espiritual que permeia o universo).

ELEMENTO: ETER (ESPÍRITO) 
Direção: Centro e circunferência
Regência: Transcedência, transformação, mudança, todos os lugares e nenhum lugar, dentro e fora, o vazio
Hora: Além do tempo, o tempo é somente um
Estação: A roda que gira
Cores: Transparente, branco, preto
Ferramentas: Caldeirão
Sentido: Audição
Incenso: Almécega
Plantas: Visgo
Árvore: Amendoeira em flor
Animais: Esfinge
Deusas: Ísis, o nome secreto da Deusa
Deuses: Akasha, Iaô, JHVH


E para mais informações leiam o livro: Magia natural de Scott Cunningham, 

an�ncio-texto

 
Storm Sazonal © Copyright | Template By Mundo Blogger |